Pesquisar

Meio Ambiente

Endereços úteis

Anuncie

Bate Papo

HOME

Lixo Recicle Classificados Astronomia Desaparecidos Noticias Fale Conosco

Serviço

O que é Astronomia
Plutão
Mercúrio
Vênus
Terra
Lua
Marte
Ceres
Júpiter
Saturno
Urano
Netuno
Caronte
Xena
Cometas
Galáxia
O Sol
Asteróide

Gerais

Sistema Solar
Formação do Sistema Solar
Novo Sistema encontrado
Galeria de Fotos
Isaac Newton
Galileu Galilei
Nicolau_Copérnico
Edmund Halley
Teorias de Isaac Newton
Cinturão_Kuiper
Meio Interestelar
Teoria Sobre Estrelas
Eclipses do Sol e da Lua
Hambúrguer de Estrela
Nascimento Super Nova
Colisão de Galáxias
Extraterrestre

Novidades da Ciência

Noticias de ciências
Diâmetros e massa
As 50 estrelas mais brilhantes
Buraco Negro
Leônidas
Quaosar
Quasar
Radiação Solar
Astronomia na Antiguidade
Chuvas de Meteoros
Curiosidades da Terra
Ozônio
Radiação
Forças gravitacionais
Sites de Astronomia
Fotos recentes
 
proxima

Asteróides

 

Entre as órbitas de Marte e Júpiter encontram-se milhares de pequenos corpos que giram ao redor do Sol. O primeiro e maior asteróide descoberto em 1801 pelo italiano Piazzi e sua órbita calculada por Friedrich Gauss.

Acredita-se que o cinturão de asteróides existe porque a grande força gravitacional imposta pelo gigante gasoso Júpiter, impedindo que os todos se aglutinassem, formando um único planeta, mas mesmo assim, se juntarmos todos os asteróides, a massa final seria bem menor do que qualquer planeta do sistema solar.

O maior asteróide chama-se Ceres, com um diâmetro um pouco maior que 600 Km. A outra grande maioria tem dimensões bem menores, mais pequenas e irregulares, onde o comprimento dificilmente passa de 1 km. Como as colisões entre asteróides são muito comuns, o cinturão acaba sempre produzindo novos pequenos asteróides, já que no choque violento entre asteróides, algumas partes se desprendem um do outro, produzindo novos asteróides e mudando sua trajetória.

Apesar de serem pequenos asteróides pedaços de rochas, assim como todos os planetas do sistema solar, os asteróides giram ao redor do Sol, entre os planetas Marte e Júpiter, seguindo sua órbita própria.

 

     Até 1962, cerca de 1647 asteróides, planetas menores foram catalogados e tiveram suas órbitas determinadas. Mas os especialistas afirmam que pode haver cerca de 50.000 corpos no cinturão de asteróides, a maior parte dos quais, provavelmente, com diâmetros menores que 1,5 Km.

Alem da primeira possibilidade já levantada sobre o porque da existência dos asteróides, acredita-se que devido a seu grande número e as posições planetárias, acreditou-se que inicialmente que os asteróides fossem restos de um planeta que fora totalmente destruído, mas devido a sua massa que é de menos de 1/1000 da massa terrestre, o planeta deveria ter sido extremamente pequeno.


Outra história afirmava que eles poderiam ser remanescentes da matéria que formou o Sol e os planetas internos, de acordo com essa teoria, asteróides são blocos iniciais da construção dos planetas.

 

 

 

Conheça o Ache Tudo e Região  o portal de todos Brasileiros. Coloque este portal nos seus favoritos. Cultive o hábito de ler, temos diversidade de informações úteis ao seu dispor. Seja bem vindo , gostamos de suas críticas e sugestões, elas nos ajudam a melhorar a cada ano.

Faça parte desta comunidade, venha para o Ache Tudo e Região

 

 
 

 

Copyright © 1999 [Ache Tudo e Região]. Todos os direitos reservado. Revisado em: 13 janeiro, 2017. Não nos responsabilizamos pelo conteúdo expresso nas páginas de parceiros e ou anunciantes. (Privacidade e Segurança)