Home Pesquisar Úteis Ambiente Astronomia Recicle Cidades Dinossauros Anuncie Noticias Fale Conosco
  DESMAME  
Veja Noticias
   
 


Quanto tempo deveria amamentar? 

 
R. O ideal, segundo a Organização Mundial da Saúde, é a amamentação exclusiva nos seis primeiros meses, depois que se continue a amamentação, com complemento alimentar - que pode ser a própria comida da família, incluindo muitas frutas e verduras - até os dois anos de vida, pelo menos. 

 
2. Os avós e amigos recriminam porque amamento minha filha já grandinha. 
Estou errada? 

R. De jeito nenhum. Há tempos atrás e mesmo hoje, na África e outras regiões, as mães amamentavam - ainda amamentam - por muito tempo, até a criança estar bem grandinha. Isso não causava - nem causa - nenhum problema psicológico, nem a criança fica mais dependente da mãe. Claro que, enquanto estiver mamando, vai querer mais atenção, mas pesquisas demonstram que no futuro tornam-se crianças muito mais seguras, porque receberam toda a atenção necessária na primeira infância. Portanto, se você e seu bebê quiserem prolongar a amamentação, não ouçam "conselhos" equivocados. 

 
3. Quais as vantagens da amamentação para a criança maiorzinha? 


4. Estou grávida. Posso continuar amamentando?


R. Pode sim, desde que não esteja com risco de aborto. A amamentação pode provocar contração uterina. Veja nossa página com fotos de "tandem", que é a amamentação de duas crianças ao mesmo tempo - o bebê e a maioria. 

 
5. Como iniciar novos alimentos? 


O fundamental é preservarmos a alimentação ao seio até o segundo ano de vida. Para isto, não introduzimos outro leite, mesmo sendo uma fórmula infantil (leite de vaca modificado) que se apresente apropriado para esta fase. E, consequentemente não é necessário o uso de mamadeiras e chupetas. Aos 4-6 meses o bebe tem condições de usar bem o copo (aberto ou fechado - com tampa) e tomar suco de frutas ou água de côco, por exemplo na colação - pequeno lanche da manhã. Na hora do almoço, introduzimos uma refeição-de-sal, baseada na comida da família, com adaptações (exclusões de alguns condimentos e inclusões de verduras, legumes, hortaliças). 


Reparem, que não é "sopa", e sim papa, ou seja, mais consistente, com menos água. Deve-se acrescentar 5 ml de azeite de oliva, sobre a refeição "salgada", para aumentar o aporte calórico (energético) e de vitaminas liposolúveis. 


No lanche à tarde, uma papa de frutas, também oferecida na colher. Todos estes novos alimentos sólidos são amassados com o garfo ou passados na peneira, nunca no liquidificador! 


Na hora do jantar espera-se que a nutriz (ou lactante) já tenha chegado do trabalho para amamentar. A introdução destes novos alimentos deve ser feita aos poucos - em quantidade e qualidade, e na primeira semana de adaptação, complementada com mamadas ao seio. O leite materno ordenhado, retirado durante o trabalho materno, deve ser conservado em frascos limpos, armazenado em geladeira e levado refrigerado e pode ser dado no dia sequinte, substituindo ou complementando uma destas refeições de "desmame". Todo este esquema deve ser planejado e é fundamental que a pessoa que toma conta ou a creche estejam de acordo com estas novidades. Eis aí uma ótima oportunidade para o pai participar mais ativamente.


Consulte seu pediatra (capacitado em aleitamento materno) ou uma nutricionista, que pode ser a da creche. Embora no início, o bebê recuse os novos alimentos, um reflexo primitivo de extrusão, e pense que você o está "rejeitando"... E, que você também tenha dificuldade e ás vezes até uma certa "culpa" de ter que deixá-lo... Está na hora oportuna da família vivenciar mais esta etapa do desenvolvimento... (Prof. Marcus Renato de Carvalho) 


6. Como desmamar? 


O Aleitamento Materno exclusivo possibilita um ótimo crescimento e desenvolvimento do lactente até os 6 meses de vida. Na década de 90, em comparação com as anteriores, cada vez mais estamos chegando perto deste ideal. No entanto, o que temos observado é que a introdução dos novos alimentos não tem sido adequada, prejudicando a continuidade da amamentação e a saúde do bebê.

 Quais tem sido as recomendações mais atualizadas da OMS e do UNICEF para este  
período crítico da vida do lactente ?


O fundamental é preservarmos a alimentação ao seio até o segundo ano de vida. Para isto, não introduzimos outro leite, mesmo sendo uma fórmula infantil (leite de vaca modificado) que se apresente apropriado para esta fase. E, conseqüentemente não é necessário o uso de mamadeiras e chupetas. Aos 4-6 meses o bebe tem condições de usar bem o copo (aberto ou fechado - com tampa) e tomar suco de frutas ou água de côco, por exemplo na colação - pequeno lanche da manhã. Na hora do almoço, introduzimos uma refeição-de-sal, baseada na comida da família, com adaptações (exclusões de alguns condimentos e inclusões de verduras, legumes, hortaliças). Reparem, que não é "sopa", e sim papa, ou seja, mais consistente, com menos água. Deve-se acrescentar 5ml de azeite de oliva, sobre a refeição "salgada", para aumentar o aporte calórico (energético) e de vitaminas liposolúveis.

 
No lanche à tarde, uma papa de frutas, também oferecida na colher. Todos estes novos alimentos sólidos são amassados com o garfo ou passados na peneira, nunca no liquidificador!

Na hora do jantar espera-se que a nutriz (ou lactante) já tenha chegado do trabalho para amamentar. A introdução destes novos alimentos deve ser feita aos poucos - em quantidade e qualidade, e na primeira semana de adaptação, complementada com mamadas ao seio. O leite materno ordenhado, retirado durante o trabalho materno, deve ser conservado em frascos limpos, armazenado em geladeira e levado refrigerado e pode ser dado no dia seguinte, substituindo ou complementando uma destas refeições de "desmame". Todo este esquema deve ser planejado e é fundamental que a pessoa que toma conta ou a creche estejam de acordo com estas novidades. Eis aí uma ótima oportunidade para o pai participar mais ativamente.

Consulte seu pediatra (capacitado em aleitamento materno) ou uma nutricionista infantil ou a da creche. Embora no início, o bebê recuse os novos alimentos, um reflexo primitivo de extrusão, e pense que você o está "rejeitando"... E, que você também tenha dificuldade e ás vezes até uma certa "culpa" de ter que deixá-lo... Está na hora oportuna da família vivenciar mais esta  
etapa do desenvolvimento...

 
Afinal, crescer é tornar-se independente.
 



  Proteger as árvores, animais, rios e mares é um dever cívico. Faça sua parte, todos seremos responsabilizados pelo que estamos fazendo de mal a natureza.


Conheça o Ache Tudo e Região  o portal de todos Brasileiros. Cultive o hábito de ler, temos diversidade de informações úteis ao seu dispor. Seja bem vindo, gostamos de suas críticas e sugestões, elas nos ajudam a melhorar a cada ano.


 
 
 
 

Copyright © 1999 [Ache Tudo e Região]. Todos os direitos reservado. Revisado em: 23 outubro, 2015. Melhor visualizado em 1280x800 pixel