Home Pesquisar Úteis Ambiente Astronomia Recicle Cidades Dinossauros Anuncie Noticias Fale Conosco
  COPA DE 1986  
VEJA NOTICIAS
   



A Copa do Mundo FIFA de 1986 foi a 13ª Copa do Mundo disputada, e contou com a participação de 24 países divididos em seis grupos de quatro. 113 países participaram das eliminatórias.

 
Copa do Mundo FIFA de 1986
Mexico 86
Dados
Participantes 24
Organização
Anfitrião México
Período 31 de Maio – 29 de Junho
Gol(o)s 132 (média de 2,5 por partida)
Jogos
Média gols por partida
Campeão Argentina
Vice-campeão Alemanha Ocidental
Campeão do interior
Melhor marcador Gary Lineker (6)
Maior goleada (diferença)
Público 2.393.331 (média de 46.026 por partida
 


A Copa de 1986 seria disputada na Colômbia. Porém, os graves problemas econômicos deste país impediram os colombianos de serem os anfitriões do torneio. A FIFA ofereceu a Copa para o Brasil, mas o Governo de José Sarney recusou. Então a Copa foi aceita pelo México, que foi escolhido para sediar o mundial mais uma vez. Nem mesmo os terremotos um ano antes do mundial colocaram em risco a realização da copa.

Foi uma Copa na qual o grande nome foi sem dúvida Diego Armando Maradona. Após o vexame de 1982, a Argentina vinha com um time renovado. Maradona, Jorge Valdano, Jorge Burruchaga e Nery Pumpido foram nomes de uma equipe que se deu ao luxo de abrir mão da titularidade de Daniel Passarella.

Já o Brasil, na primeira fase, ganhou da Espanha por 1 a 0, que deveria ter sido empate com um gol de Michel, que o juiz não viu (a bola bateu na trave e após a linha), 1 a 0 na Argélia, 3 a 0 na Irlanda do Norte (com um golaço de Josimar) e 4 a 0 na Polônia com outro lindo gol de Josimar.

O Brasil, com uma defesa mais consistente do que em 1982, só levou um gol, justo no fatídico empate com a França pelas Quartas de Final, onde Zico, aos 30 do segundo tempo viu Joël Bats defender o penal que daria a classificação à seleção canarinho.

A Copa de 1986 também marcou a despedida da "geração Platini", e a França ficou com o 3º lugar, eliminada pela segunda vez consecutiva pela Alemanha e os principais jogadores de tão frustrados abriram mão de jogar pelo 3º posto contra a Bélgica. Mesmo assim, a França ganhou por 4 a 2. Os "Diabos Vermelhos" (a seleção belga) foram a grande surpresa da copa, pois eliminaram seleções favoritas como a URSS, nas oitavas por 4 a 3 num jogo sensacional, e a Espanha, que um jogo antes goleou a Dinamarca por inacreditáveis 5 a 1 com uma atuação espetacular de Emilio Butragueño, que fez quatro gols naquele jogo.

A sensação da primeira fase foi a "Dinamáquina", que aplicou uma sonora goleada no Uruguai por 6 a 1, e venceu ainda a Alemanha, grande favorita, por 2 a 0 e caiu contra a Espanha nas Oitavas.

O Marrocos se classificou em um grupo que tinha Inglaterra, Polônia e Portugal e só foi eliminado nas Oitavas, contra a Alemanha, com um gol de falta de Lothar Matthäus no fim do jogo. A boa campanha marroquina confirmava o início de uma fase constante de boas participações de equipes africanas em Copas.

A Argentina, com o gênio Maradona, ganhou da Coréia do Sul na estréia por 3 a 1, empatou em seguida com a Itália, campeã mundial e grande decepção da copa, por 1 a 1, e consolidou o primeiro lugar com 2 a 0 na Bulgária. Nas oitavas ganhou por 1 a 0 do Uruguai, nas Quartas, 2 a 1 na Inglaterra, num dos jogos mais antológicos da história do futebol mundial. Maradona, literalmente, acabou com o jogo.

Fez um gol de mão, e depois um dos mais belos gols de todos os tempos, onde passou por seis ingleses, incluindo o goleiro. Na semifinal, espantou a zebra belga por 2 a 0 com outro golaço do pibe de oro. Na final, Argentina e Alemanha Ocidental. A Argentina abre 2 a 0 com gols de José Luis Brown e Valdano, a Alemanha busca o resultado e empata com gols de Karl-Heinz Rummenigge e Rudi Völler, mas, no final, num descuido de Matthäus, implacável marcador, Maradona acha Burruchaga e o lança na cara do gol: 3 a 2 para a Argentina. Desta vez, ao contrário de 1978, sem contestações.


Brasil na Copa

Colocação: 5º lugar
Campanha: 5 jogos, 4 vitórias, 1 empate (o Brasil perdeu depois nos pênaltis para a França), 10 gols a favor e 1 gol contra.
Jogos: Brasil 1 X 0 Espanha, Brasil 1 X 0 Argélia, Brasil 3 X 0 Irlanda do Norte, Brasil 4 X 0 Polonia e Brasil 1 X 1 França(Nos penâltis, 4 a 3 para a França).

Portugal na Copa

Eliminatórias

Há 20 anos que Portugal não participava numa final do campeonato. No sorteio das eliminatórias, Portugal ficou alinhado com Alemanha, Tchecoslováquia, Suécia e Malta. Duas equipas por grupo iriam ao campeonato.

Portugal começou bem, indo ganhar à Suécia por 1 a 0, em Estocolmo, a 12 de setembro de 1984. Foi a primeira vitória frente à Suécia. O gol foi de Gomes. Depois, no Porto, a 14 de outubro, Portugal derrotou a Tchecoslováquia por 2 a 1, com gols de Diamantino Miranda e Carlos Manuel; com Janecka pelos tchecoslovacos. Mas, um mês depois, a 14 de Novembro, em Lisboa, Portugal cedeu 1 a 3 com a Suécia, com um golo de Rui Jordão, Nilsson e Prytz (2) pelos suecos.

Em Malta, a 10 de Fevereiro, Portugal ganhou por 1 a 3, com golos de Gomes (2) e Carlos Manuel, Ferrugia marcou o gol dos malteses. Esse jogo caracterizou-se por ter sido jogado da parte da manhã, antes de almoço. Com a Alemanha, em Lisboa, a 14 de Fevereiro, Portugal voltou a perder 1 a 2 (Diamantino marcou para Portugal; Völler e Pierre Littbarski marcaram para a Alemanha).

As esperanças de qualificação ficaram quase completamente arrasadas com mais uma derrota, desta vez em Praga, a 25 de setembro por 1 a 0, gol de Hruska. Com Malta, em Lisboa, Portugal venceu novamente, mas tangencialmente 3 a 2, com gols de Gomes (2) e José Rafael; Frederico marcou na sua própria baliza; Di Giorgio marcou também por Malta.

Fase Final

Caso Saltillo
No México, Portugal ficou no grupo da Inglaterra, Polónia e Marrocos; à partida era um grupo acessível. A equipa portuguesa instalou-se em Saltillo. A 3 de Junho de 1986, em Monterrey, Portugal estreou bem, vencendo a Inglaterra por 1 a 0, gol de Carlos Manuel.

Portugal alinhou com: Bento; Álvaro, Frederico, Oliveira, Inácio; Diamantino (aos 83' José António), Jaime Pacheco, André, Sousa; Carlos Manuel e Gomes (aos 73': Futre).
Inglaterra com: Shilton; Gary M. Stevens, Fenwick, Butcher, Sansom; Glenn Hoddle, Bryan Robson(aos 60': Hodge), Wilkins, Chris Waddle (aos 80' Peter Beardsley): Hateley e Lineker.

Mas algo estava mal entre a delegação portuguesa. Os jogadores e a federação não chegavam a acordo sobre prémios de jogo. Havia problemas de indisciplina e entre o primeiro e o segundo jogo, os jogadores fizeram greve aos treinos. Além disso, o guarda-redes português, Bento, partiu uma perna na véspera do segundo jogo, tendo sido substituído por Vítor Damas. A 7 de Junho, também em Monterrey, Portugal defrontou a Polónia e perdeu por 0 a 1, com gol de Smolarek.

Portugal alinhou com Vitor Damas; Álvaro, Frederico, Oliveira, Inácio; Diamantino, Jaime Pacheco, André (aos 73': Jaime Magalhães), Sousa; Carlos Manuel, Gomes (aos 46': Futre).
Polónia com: Młynarczyk; Pawlak, Wójcicki, Majewski, Ostrowski; Matysik, Komornicki (aos 57' Karaś), Boniek; Smolarek (aos 75' Zgutczyński), Dziekanowski, Urban.

A 11 de Junho, em Guadalajara, Marrocos, que antes havia surpreendentemente empatado com Polónia e Inglaterra, ganhou 3 a 1 (Khairi (2) e Krimau; Diamantino).
Portugal alinhou com: Damas; Álvaro (aos 55' Rui Aguas), Frederico, Oliveira, Inácio; Pacheco, Magalhães, Sousa (aos 69' Diamantino), Carlos Manuel; Gomes, Futre.
Marrocos com Zaki; Khalifi, El Biaz, Bouyahyaoui, Lemriss (aos 69' Amanallah); Dolmy, El Haddaoui (aos 71' Souleymani), Timoumi, Khairi; Bouderbala, Krimau

Portugal ficou em último lugar e foi eliminado.

A greve de Saltillo deixou marcas profundas: a quase totalidade dos jogadores que foram ao campeonato do Mundo recusaram voltar a jogar pela selecção durante dois anos, e Portugal viu-se obrigado a jogar com uma equipa de reservistas.

Três equipes faziam sua primeira participação em copas: Canadá, Dinamarca e Iraque.
No dia do embarque para o México, o lateral brasileiro Leandro desistiu de participar da Copa. Ele disse que a atitude era em solidariedade ao corte de seu companheiro, Renato Gaúcho, que havia saído da concentração sem permissão. Além disso, Leandro já não jogava mais no Flamengo como lateral direito, posição para qual Telê Santana o convocara, mas sim como zagueiro.

Telê "promoveu" o lateral Édson para titular e chamou o discreto Josimar, do Botafogo, para a reserva. Com Édson não correspondendo às expectativas, Telê lançou Josimar como titular no segundo jogo e o jogador acabou virando a grande sensação do Brasil na Copa, ao marcar dois golaços , na primeira fase contra a Irlanda do Norte e na segunda fase contra a Polônia, surpreendendo a todos.

Atolada em uma grave crise financeira e administrativa, a Jamaica não conseguiu pagar a taxa de afiliados à FIFA e foi impedida de participar das Eliminatórias.

No jogo entre Paraguai x Bélgica, o paraguaio Cayetano Ré (que jogou a Copa da Suécia) se tornou o primeiro treinador a ser expulso de uma partida de Copa do Mundo.

Embora tenha feito parte da criação da FIFA em 1904, a Dinamarca só conseguiu se classificar pela primeira vez para um mundial em 1986.

Na estréia do Brasil, contra a Espanha, o DJ do Estádio Jalisco tocou o Hino à bandeira do Brasil, em vez do Hino Nacional Brasileiro.

Estreante em copas, o Canadá passou despercebido no Mundial. Seus jogos serviram apenas para treinar os adversários na primeira fase, pois nas três partidas que disputou, perdeu todas e sequer balançou as redes. Sem tradição no futebol, o Canadá terminou em último lugar. O tecnico francês Henri Michel declarou: "Só os temeria se fosse um torneio de hóquei de gelo".

No mesmo grupo do Canadá, a seleção da Hungria tinha, no papel, uma boa equipe, mas na estréia jogou muito mal, e foi impiedosamente massacrada pela União Soviética por 6x0. No dia seguinte à derrota seu treinador convocou todos os jogadores numa sala dentro da concentração para assistir ao video-tape do jogo, para verificar onde a equipe tinha falhado. Após a reunião, o goleiro húngaro Peter Disztl disse aos jornalistas presentes: "Tomar 6 gols num só jogo é duro. Pior foi ter que assistir novamente esse jogo. Foi a experiência mais dolorosa da minha vida rever os gols que sofri."

Além de Telê Santana, outros dois treinadores brasileiros participaram da Copa, José Faria (treinador do Marrocos) e Evaristo de Macedo (treinador do Iraque), que substituiu o co-patriota Jorge Vieira, demitido meses antes da Copa. Evaristo era o treinador da equipe brasileira para as eliminatórias, mas acabou substituído por Telê meses antes deste torneio começar, em 1985.

O prêmio dos argentinos, campeões mundiais, foi de 50 mil dólares. Se ficassem com a taça, os brasileiros ficariam com 130 mil.
Foi no Mundial de 1986 que surgiram as primeiras moedas comemorativas à realização de um torneio. A idéia foi de uma igreja mexicana e tinha de um lado da moeda a imagem da Virgem de Guadalupe (Santa padroeira do país) e do outro lado um lance de jogo, estilizando as partidas que seriam disputadas no torneio.

Carlos Bilardo, técnico da Argentina, trabalhava como médico.

A data do jogo entre Brasil x França (21 de Junho) é histórica para ambas as equipes. Nesse dia, estavam se completando 16 anos da conquista do tricampeonato mundial do Brasil em 70, assim como também era o aniversário de 31 anos de Michel Platini, o maior jogador francês da época e o maior da história de seu país até o surgimento de Zidane, na copa de 1998. Na decisão por pênaltis, Platini deu um "presente de grego" para si mesmo: cobrou o pênalti para fora, mas, para sorte do craque, a França venceu.

O atacante dinamarquês Preben Elkjaer Larsen tinha um hábito incomum para jogadores de futebol, o vício pelo cigarro. O craque fumava cerca de 30 cigarros por dia.
A expulsão mais rápida das Copas foi a do uruguaio José Batista no jogo contra a Escócia. Ele recebeu o cartão vermelho aos 55 segundos do primeiro tempo.

Pela segunda vez consecutiva (1982-1986), a Seleção Brasileira conquistou o Troféu Fair Play (Jogo Limpo) oferecido pela FIFA à equipe mais disciplinada da competição.
Para viajar ao México, a seleção italiana exigiu da empresa aérea Alitalia a mesma tripulação que os levara a Espanha quatro anos antes. É que em 1982, a Itália tinha se sagrado campeã. Entretanto, a superstição não deu certo.

O treinador sérvio Bora Milutinovic participava de sua primeira copa treinando a equipe do país-sede. Ele se tornaria o técnico que mais participou de copas (5 consecutivas), pois ainda comandou a Costa Rica em Itália 90, os anfitriões de EUA 94, a Nigéria em França 98 e a China em Coréia do Sul/Japão 2002.

Antes do futebol, o atacante italiano Bruno Conti jogava baseball. Ele era tão bom que quase foi jogar profissionalmente nos EUA.
Quando o francês Bruno Bellone cobrou o pênalti para a França no jogo contra o Brasil, a bola bateu na trave, nas costas do goleiro Carlos e entrou. Os jogadores brasileiros pediram a anulação do gol, mas não sabiam que este lance era válido nas regras do futebol.

Uma cena que ficou marcada para sempre na história da televisão brasileira foi a expressão de choro do jornalista e apresentador da Rede Globo Fernando Vanucci ao final da partida em que o Brasil foi eliminado pela França nos pênaltis; Vanucci declamou nos estúdios da Globo uma mensagem ao torcedor brasileiro e à seleção, narrando uma poesia de Affonso Romano de Sant'anna, mas não conseguiu conter as lágrimas.

Quatro jogadores da seleção uruguaia jogavam no Brasil: o goleiro Rodolfo Rodríguez (Santos), o lateral Diogo (Palmeiras), o zagueiro Dario Pereyra (São Paulo) e o meia Rubén Paz (Internacional).
Preocupada com o Mal de Montezuma, que causa incontroláveis crise de estômago em estrangeiros no México, a delegação da Bélgica trouxe em sua bagagem 20 mil litros de água mineral e centenas de quilos de queijo holandês.

Ao marcar 6 gols na Copa de 86, o atacante Gary Lineker se tornou o primeiro inglês a terminar como artilheiro de uma Copa do Mundo, embora a Inglaterra tenha sido eliminada nas quartas-de-final.

Em 1985, durante as eliminatórias, o coração do técnico escocês Jock Stein não resistiu as emoções do jogo decisivo contra o País de Gales. Ele tombou ainda no banco, depois da partida. Para o lugar do finado treinador, foi chamado Alex Ferguson, que após a copa se tornou treinador do Manchester United, onde está até hoje.

A Bélgica jamais tinha chegado tão longe numa Copa do Mundo. Os "Diabos Vermelhos" terminaram o Mundial em quarto e o goleiro Jean Marie-Pfaff foi eleito o melhor goleiro da Copa.

O brasileiro Romualdo Arppi Filho repetiu o feito de Arnaldo César Coelho e apitou a final do Mundial de 86. Romualdo chegou a dar cartão amarelo para Maradona na final.

Vários craques da época se despediram das Copas em 86. Zico, Sócrates, Falcão e Júnior (Brasil); Gordillo e Senor (Espanha); Harald Schumacher e Karl-Heinz Rummenigge (Alemanha); Michel Platini, Jean Tigana e Alain Giresse (França).

Seis seleções voltam a disputar uma copa do mundo após um longo período: Coreia do Sul (32 anos depois), Paraguai (28 anos depois), Portugal (20 anos depois), Marrocos (16 anos depois), Bulgária e Uruguai (12 anos depois).

Primeira Fase

Grupo A
Time Pts J V E D GF GC SG
Argentina 5 3 2 1 0 6 2 4
Itália 4 3 1 2 0 5 4 1
Bulgária 2 3 0 2 1 2 4 -2
Coreia do Sul 1 3 0 1 2 4 7 -3
31 de maio de 1986
12:00 Itália 1–1 Bulgária Estádio Azteca, Cidade do México
Árbitro: Fredriksson (Suécia)
Público: 95,000
Altobelli 43' Sirakov 85'

--------------------------------------------------------------------------------
2 de junho de 1986
12:00 Argentina 3–1 Coreia do Sul Estádio Olímpico Universitario, Cidade do México
Árbitro: Sánchez (Espanha)
Público: 60,000
Valdano 6', 46'
Ruggeri 18' Park Chang-Seon 73'

--------------------------------------------------------------------------------
5 de junho de 1986
12:00 Itália 1–1 Argentina Estadio Cuauthémoc, Puebla
Árbitro: Keizer (Países Baixos)
Público: 32,000
Altobelli 6' pen Maradona 34'

--------------------------------------------------------------------------------
5 de junho de 1986
16:00 Bulgária 1–1 Coreia do Sul Estádio Olímpico Universitario, Cidade do México
Árbitro: Al Shanar (Arábia Saudita)
Público: 45,000
Getov 11' Kim Jong-Boo 70'

--------------------------------------------------------------------------------
10 de junho de 1986
12:00 Itália 3–2 Coreia do Sul Estádio Cuauhtémoc, Puebla
Árbitro: Socha (Estados Unidos)
Público: 20,000
Altobelli 17', 73'
Cho Kwang-Rae 82' (g.c.) Choi Soon-Ho 62'
Huh Jung-Moo 83'

--------------------------------------------------------------------------------
10 de junho de 1986
12:00 Argentina 2–0 Bulgária Estádio Olímpico Universitario, Cidade do México
Árbitro: Morera (Costa Rica)
Público: 65,000
Valdano 3'
Burruchaga 79'

Grupo B
Time Pts J V E D GF GC SG
México 5 3 2 1 0 4 2 2
Paraguai 4 3 1 2 0 4 3 1
Bélgica 3 3 1 1 1 5 5 0
Iraque 0 3 0 0 3 1 4 -3
3 de junho de 1986
12:00 México 2–1 Bélgica Estádio Azteca, Cidade do México
Árbitro: Espósito (Argentina)
Público: 110,000
Quirarte 23'
Sánchez 39' Vandenbergh 45'

--------------------------------------------------------------------------------
4 de junho de 1986
12:00 Paraguai 1–0 Iraque Estádio Nemesio Díez, Toluca
Ref: Picon-Ackong (Ilhas Maurício)
Público: 24,000
Romerito 35'

--------------------------------------------------------------------------------
7 de junho de 1986
12:00 México 1–1 Paraguai Estádio Azteca, Cidade do México
Árbitro: Courtney (Inglaterra)
Público: 114,000
Flores 3' Romerito 85'

--------------------------------------------------------------------------------
8 de junho de 1986
12:00 Bélgica 2–1 Iraque Estadio Nemesio Díez, Toluca
Árbitro: Díaz (Colômbia)
Público: 20,000
Scifo 16'
Claesen 19' (pen) Radhi 59'

--------------------------------------------------------------------------------
11 de junho de 1986
12:00 Bélgica 2–2 Paraguai Estadio Nemesio Díez, Toluca
Árbitro: Dochev (Bulgária)
Público: 16,000
Vercauteren 30'
Veyt 59' Cabañas 50', 76'

--------------------------------------------------------------------------------
1 de junho de 1986
12:00 México 1–0 Iraque Estádio Azteca, Cidade do México
Ref: Petrović (Iugoslávia)
Público: 103,000
Quirarte 54'

Grupo C
Time Pts J V E D GF GC SG
União Soviética 5 3 2 1 0 9 1 8
França 5 3 2 1 0 5 1 4
Hungria 2 3 1 0 2 2 9 -7
Canadá 0 3 0 0 3 0 5 -5
1 de junho de 1986
16:00 França 1–0 Canadá Estádio Nou Camp, León
Árbitro: Silva (Chile)
Público: 36,000
Papin 79'

--------------------------------------------------------------------------------
2 de junho de 1986
12:00 União Soviética 6–0 Hungria Estádio Sergio León Chavez, Irapuato
Ref: Agnolin (Itália)
Árbitro: 16,500
Yakovenko 2'
Aleynikaw 4'
Bilanov 24' pen
Yaremchuk 66', 75'
Rodionov 80'

--------------------------------------------------------------------------------
5 de junho de 1986
12:00 França 1–1 União Soviética Estadio Nou Camp, León
Árbitro: Arppi Filho (Brasil)
Público: 36,500
Fernández 60' Rácz 53'

--------------------------------------------------------------------------------
6 de junho de 1986
12:00 Canadá 0–2 Hungria Estádio Sergio León Chavez, Irapuato
Árbitro: Al-Sharif (Síria)
Público: 14,000
Esterházy 2'
Détári 75'

--------------------------------------------------------------------------------
9 de junho de 1986
12:00 França 3–0 Hungria Estádio Nou Camp, León
Árbitro: Valente (Portugal)
Público: 31,000
Stopyra 29'
Tigana 62'
Rocheteau 84'

--------------------------------------------------------------------------------
9 de junho de 1986
12:00 Canadá 0–2 União Soviética Estádio Sergio León Chavez, Irapuato
Árbitro: Traoré (Mali)
Público: 14,200
Blokhin 58'
Zavarov 74'

Grupo D
Time Pts J V E D GF GC SG
Brasil 6 3 3 0 0 5 0 5
Espanha 4 3 2 0 1 5 2 3
Irlanda do Norte 1 3 0 1 2 2 6 -4
Argélia 1 3 0 1 2 1 5 -4
1 de junho de 1986
12:00 Brasil 1–0 Espanha Estádio Jalisco, Guadalajara
Árbitro: Bambridge (Austrália)
Público: 65,000
Sócrates 62'

--------------------------------------------------------------------------------
3 de junho de 1986
12:00 Argélia 1–1 Irlanda do Norte Estádio Tres de Marzo, Guadalajara
Ref: Butenko (União Soviética)
Attendance: 22,000
Zidane 59' Whiteside 6'

--------------------------------------------------------------------------------
6 de junho de 1986
12:00 Brasil 1–0 Argélia Estádio Jalisco, Guadalajara
Ref: Méndez (Guatemala)
Público: 48,000
Careca 66'

--------------------------------------------------------------------------------
7 de junho de 1986
12:00 Espanha 2–1 Irlanda do Norte Estádio Tres de Marzo, Guadalajara
Árbitro: Brummeier (Áustria)
Público: 28,000
Butragueño 1'
Salinas 18' Clarke 46'

--------------------------------------------------------------------------------
10 de junho de 1986
12:00 Brasil 3–0 Irlanda do Norte Estádio Jalisco, Guadalajara
Árbitro: Kirschen (Alemanha Oriental)
Público: 51,000
Careca 15', 87'
Josimar 42'

--------------------------------------------------------------------------------
10 de junho de 1986
12:00 Espanha 3–0 Argélia Estádio Tecnológico, Monterrey
Árbitro: Takada (Japão)
Público: 20,000
Calderé 15', 68'
Eloy 70'

Grupo E
Time Pts J V E D GF GC SG
Dinamarca 6 3 3 0 0 9 1 8
Alemanha Ocidental 3 3 1 1 1 3 4 -1
Uruguai 2 3 0 2 1 2 7 -5
Escócia 1 3 0 1 2 1 3 -2
4 de junho de 1986
12:00 Alemanha Ocidental 1–1 Uruguai Estádio La Corregidora, Quéretaro
Árbitro: Christov (Tchecoslováquia)
Público: 30,000
Allofs 84' Alzamendi 4'

--------------------------------------------------------------------------------
4 de junho de 1986
16:00 Escócia 0–1 Dinamarca Estádio Neza 86, Nezahualcóyotl
Árbitro: Nemeth (Hungria)
Público: 18,000
Elkjær Larsen 57'

--------------------------------------------------------------------------------
8 de junho de 1986
12:00 Alemanha Ocidental 2–1 Escócia Estadio La Corregidora, Querétaro
Árbitro: Igna (Romênia)
Público: 30,000
Völler 23'
Allofs 49' Strachan 18'

--------------------------------------------------------------------------------
8 de junho de 1986
16:00 Uruguai 1–6 Dinamarca Estádio Neza 86, Nezahualcóyotl
Árbitro: Ramírez (México)
Público: 26,000
Francescoli 45' pen Elkjær Larsen 11', 67', 80'
Lerby 41'
Laudrup 52'
J. Olsen 88'

--------------------------------------------------------------------------------
13 de junho de 1986
12:00 Alemanha Ocidental 0–2 Dinamarca Estádio La Corregidora, Querétaro
Árbitro: Ponnet (Bélgica)
Público: 36,000
J. Olsen 43' pen
Eriksen 62'

--------------------------------------------------------------------------------
13 de junho de 1986
12:00 Uruguai 0–0 Escócia Estádio Neza 86, Nezahualcóyotl
Árbitro: Quiniou (França)
Público: 20,000


Grupo F
Time Pts J V E D GF GC SG
Marrocos 4 3 1 2 0 3 1 2
Inglaterra 3 3 1 1 1 3 1 2
Polónia 3 3 1 1 1 1 3 -2
Portugal 2 3 1 0 2 2 4 -2
2 de junho de 1986
16:00 Polónia 0–0 Marrocos Estádio Universitario, Monterrey
Árbitro: Bazan (Uruguai)
Público: 19,000


--------------------------------------------------------------------------------
3 de junho de 1986
16:00 Portugal 1–0 Inglaterra Estádio Tecnológico, Monterrey
Ref: Roth (Alemanha Ocidental)
Público: 23,000
Carlos Manuel 76'

--------------------------------------------------------------------------------
6 de junho de 1986
16:00 Marrocos 0–0 Inglaterra Estádio Tecnológico, Monterrey
Árbitro: González (Paraguai)
Público: 20,000


--------------------------------------------------------------------------------
7 de junho de 1986
16:00 Polónia 1–0 Portugal Estádio Universitario, Monterrey
Árbitro: Bin Nasser (Tunísia)
Público: 20,000
Smolarek 68'

--------------------------------------------------------------------------------
11 de junho de 1986
16:00 Polónia 0–3 Inglaterra Estádio Tecnológico, Monterrey
Árbitro: Daina (Suíça)
Público: 23,000
Lineker 9', 14', 34'

--------------------------------------------------------------------------------
11 de junho de 1986
16:00 Marrocos 3–1 Portugal Estádio Jalisco, Guadalajara
Árbitro: Snoddy (Irlanda do Norte)
Público: 24,000
Khairi 19', 26'
Merry Krimau 62'

Oitavas-de-Final
15 de junho de 1986
12:00 México 2–0 Bulgária Estádio Azteca, Cidade do México
Árbitro: Arppi Filho (Brasil)
Público: 114,000
Negrete 34'
Servín 61'

--------------------------------------------------------------------------------
15 de junho de 1986
16:00 União Soviética 3–4 (Prorrogação) Bélgica Estádio Nou Camp, León
Árbitro: Fredriksson (Suécia)
Público: 32,300
Bilanov 27, 70, 111' (pen) Scifo 56'
Ceulemans 77'
Demol 102'
Claesen 110'

--------------------------------------------------------------------------------
16 de junho de 1986
12:00 Brasil 4–0 Polónia Estádio Jalisco, Guadalajara
Árbitro: Roth (Alemanha Ocidental)
Público: 45,000
Sócrates 30' (pen)
Josimar 55'
Edinho 79'
Careca 83' pen

--------------------------------------------------------------------------------
16 de junho de 1986
16:00 Argentina 1–0 Uruguai Estádio Cuauhtémoc, Puebla
Árbitro: Agnolin (Itália)
Público: 26,000
Pasculli 42'

--------------------------------------------------------------------------------
17 de junho de 1986
12:00 França 2–0 Itália Estádio Olímpico Universitario, Cidade do México
Árbitro: Espósito (Argentina)
Público: 70,000
Platini 15'
Stopyra 57'

--------------------------------------------------------------------------------
17 de junho de 1986
16:00 Marrocos 0–1 Alemanha Ocidental Estádio Universitario, Monterrey
Árbitro: Petrović (Iugoslávia)
Público: 19,000
Matthäus 87'

--------------------------------------------------------------------------------
18 de junho de 1986
12:00 Inglaterra 3–0 Paraguai Estádio Azteca, Cidade do México
Árbitro: Al Sharif (Síria)
Público: 99,000
Lineker 31', 73'
Beardsley 56'

--------------------------------------------------------------------------------
18 de junho de 1986
16:00 Dinamarca 1–5 Espanha Estadio La Corregidora, Querétaro
Árbitro: Keizer (Países Baixos)
Público: 38,500
J. Olsen 33' pen Butragueño 43', 56', 80', 88' (pen)
Goikoetxea 68' pen

Quartas-de-Final

21 de junho de 1986
12:00
Histórico Brasil 1–1 (Prorrogação)
(3–4 Disputa por pênaltis) França Estadio Jalisco, Guadalajara
Árbitro: Igna (Romênia)
Público: 65,000
Careca 17' Platini 40'
Penalidades
Sócrates: Bats defendeu
Alemão: marcou
Zico: marcou
Branco: marcou
Júlio César: chutou na trave 3–4 Stopyra: marcou
Amoros: marcou
Bellone: marcou
Platini: chutou para fora
Fernández: marcou

--------------------------------------------------------------------------------
21 de junho de 1986
16:00 México 0–0 (Prorrogação)
(1–4 Disputa por pênaltis) Alemanha Ocidental Estádio Universitario, Monterrey
Árbitro: Díaz (Colômbia)
Público: 44,000

Penalidades
Negrete: marcou
Quirarte: Schumacher defendeu
Servín: Schumacher defendeu 1–4 Allofs: marcou
Brehme: marcou
Matthäus: marcou
Littbarski: marcou

--------------------------------------------------------------------------------
22 de junho de 1986
12:00 Argentina 2–1 Inglaterra Estádio Azteca, Cidade do México
Árbitro: Bin Nasser (Tunísia)
Público: 115,000
Maradona 51', 55' Lineker 81'

Nesta partida Diego Maradona marcou o famoso gol da Mão de Deus e neste jogo também ele marcou o seu gol mais famoso em copas onde dribla vários ingleses até fazer o gol..


--------------------------------------------------------------------------------
22 de junho de 1986
16:00 Bélgica 1–1 (Prorrogação)
(5–4) (Disputa por pênaltis) Espanha Estádio Cuauhtémoc, Puebla
Ref: Kirschen (Alemanha Oriental)
Público: 45,000
Ceulemans 35' Señor 85'
Penalidades
Claesen: marcou
Scifo: marcou
Broos: marcou
Vervoort: marcou
van der Elst: marcou 5–4 Señor: marcou
Eloy: Pfaff defendeu
Chendo: marcou
Butragueño: marcou
Víctor: marcou

Semifinais
25 de junho de 1986
12:00 Alemanha Ocidental 2–0 França Estádio Jalisco, Guadalajara
Árbitro: Agnolin (Itália)
Público: 50,000
Brehme 9'
Völler 89'

--------------------------------------------------------------------------------
25 de junho de 1986
16:00 Argentina 2–0 Bélgica Estádio Azteca, Cidade do México
Árbitro: Ramírez (México)
Público: 110,000
Maradona 51', 63'

Disputa de 3º Lugar

28 de junho de 1986
12:00 França 4–2 (Prorrogação) Bélgica Estádio Cuauhtémoc, Puebla
Árbitro: Courtney (Inglaterra)
Público: 21,000
Ferreri 27'
Papin 43'
Genghini 104'
Amoros 111' pen Ceulemans 11'
Claesen 73'

Final
29 de junho de 1986
12:00 Argentina 3–2 Alemanha Ocidental Estádio Azteca, Cidade do México
Árbitro: Arppi Filho (Brasil)
Público: 114,600
Brown 23'
Valdano 55'
Burruchaga 83' Rummenigge 74'
Völler 80'


Argentina


Alemanha Ocidental


Premiações
Campeã da Copa do Mundo FIFA de 1986

Argentina
Segundo Título



  Proteger as árvores, animais, rios e mares é um dever de todos. Faça sua parte, todos seremos responsabilizados pelo que estamos fazendo de mal a natureza.






Faça parte desta comunidade, venha para o Ache Tudo e Região

PUBLICIDADE
 

Conheça o Ache Tudo e Região  o portal de todos Brasileiros. Coloque este portal em seus favoritos. Cultive o hábito de ler, temos diversidade de informações úteis ao seu dispor. Seja bem vindo, gostamos de suas críticas e sugestões, elas nos ajudam a melhorar a cada ano.

Copyright © 1999 [Ache Tudo e Região]. Todos os direitos reservado. (Declaração de Privacidade). Revisado em: 13 julho, 2015. Melhor visualizado em 1280x800 pixel